Arquivo por categoria Kanban

A Documentação no XP

No framework XP a documentação é minimalista na maior parte dos casos apenas o código fonte e os testes a compõem. Para a XP um código claro, simples e bem estruturado facilita a compreensão e mudanças no futuro. Com o auxílio de comentários relevantes o código é a melhor documentação que um software pode ter, além de não se desatualizar. Embora não seja muito indicada, extrair a documentação a partir do código é uma opção utilizada pela XP. Além do código pouco material é produzido apenas os radiadores de informação e os cartões de história.

Os cartões de história são feitos de papel e servem para que os clientes e usuários descrevam funcionalidades que desejam no sistema. Os progaramadores utilizam-nos para direcionar a implementação. Os radiadores de informação por sua vez são graficos e cartazes que demonstram a produtividade da equipe. Estes devem ficar expostos onde todos os membros da equipe e os clientes possam vê-los. Dentre os radiadores de informação o mais importante está a adoção do quadro de tarefas inspirado no Kanban.

Tags: , , , , , ,

O Quadro Kanban

Uma característica significativa do Scrum é que assim como no XP o enfoque dado à documentação é pequeno. Na maioria das vezes se resume a uma série de histórias de usuário – similares a casos de uso – afixadas em um quadro Kanban. O quadro Kanban é originário de um método, homônimo, de fabricação, orientado à produção em série e serve para facilitar a gerência do fluxo de produção. O desenvolvimento deste método é creditado à Toyota. Ele surgiu dentro do contexto do Just In Time do qual faz parte (PEINADO, 1999). O termo Kanban é uma palavra japonesa que significa literalmente registro ou placa visível que são características básicas do quadro.

O  Quadro Kanban

Fonte: RAHAL JUNIOR, 2011

A Figura acima representa o fluxo de tarefas no quadro Kanban. Uma história de usuário ou item de backlog é quebrada em varias outras menores que são adicionadas a coluna a fazer. Um membro da equipe escolhe um cartão de história, muda-o para a coluna fazendo. Após implementar, executar dos devidos testes de integração e considerar a tarefa como pronta ele então muda o cartão para coluna feito. Feito isto ele pega outro cartão na coluna a fazer reinicia novamente o ciclo. Isso se repetirá até que a equipe mude todas as histórias para a coluna feito.

Muitas vezes pode ocorrer confusão, pois alguns autores chamam o quadro de tarefas de quadro Scrum, e na realidade ele é praticamente igual ao quadro Kanban. De acordo com Kniberg & Skarin (2009) a principal diferença entre eles é que o Scrum deixa a equipe livre para configurar o fluxo de tarefas no quadro como bem entender. Já o Kanban determina que não devem haver mais de duas histórias em andamento simultaneamente.

Referências:

KNIBERG, Henrik. Scrum e XP Direto DasTrincheiras: Como nós fazemos Scrum. InfoQueue, 2007. Disponível em < http://infoq.com/br/minibooks/scrum-xp-fromthe-trenches > Acesso em 14 nov. 2010.

KNIBERG, Henrik; SKARIN, Mattias. Kanban e Scrum : Obtendo o Melhor de Ambos. InfoQueue, 2007. Disponível em <http://www.infoq.com/br/minibooks/kanban-scrum-minibook> Acesso em 14 nov. 2010.

RAHAL JUNIOR, Nelson Abu Samra . Melhorando o Entendimento “Como fazer?”. Disponível em: < http://blogdoabu.blogspot.com/2010/09/melhorando-o-entendimento-como-fazer.html >  acesso em 04 abr. 2011.

PEINADO, Jurandir. O papel do sistema de abastecimento Kanban na redução dos inventários. Revista da FAE, Curitiba, v.2, n.2, p.27-34, maio/ago. 1999.

Tags: , , , , ,