Arquivo para setembro de 2012

Novos posts

Bom pessoal até aqui a maioria dos posts abordavam quase que completamente temas voltados à Engenharia de Software e/ou aspectos mais teóricos. Isto se deve ao fato de eu ter aproveitado grande parte do que escrevi no meu TCC como material para os posts anteriores. Até então eu usava o Blogger então migrei tudo pra cá e ainda estou “arrumando a casa”. Daqui pra frente vou começar a postar materiais relacionados à desenvolvimento. Mais especificamente sobre JSF, Primefaces, JPA, Hibernate, Spring Framework, Spring Security, Play! Framework e Grails. Além disso estou preparando uma série de vídeo-aulas, sobre estes temas e em breve estarão on-line.

Espero que gostem e voltem novamente.

Tags: , , , , ,

Por quê Semeru?

Vocês devem estar se perguntando, “onde diabos esse maluco arrumou esse nome?” simples, hehehe, nem tanto. Esse nome se deve ao fato de eu trabalhar e gostar muito da linguagem Java. “Poxa mas o que isso tem a ver?”. Na ilha de Java localizada na Indonésia existem uma série de enormes vulcões e o maior, mais ativo e violento deles é o Mont Semeru ou simplesmente Semeru. Daí veio o nome do blog.
Ilha de java
É isso aí, e espero que gostem.

Tags: , , ,

O Ciclo de Vida das Requisições no JavaServer Faces

De acordo com a especificação da arquitetura JSF, toda requisição possui um ciclo de vida, em que cada requisição é tratada de uma maneira. Existem seis diferentes fases, entretanto nem toda requisição percorre todas elas. Dependendo do tipo de requisição, ou ações a serem executadas, algumas fases simplesmente são puladas. A Figura abaixo representa o ciclo de vida de uma requisição no JSF.

Após uma requisição o JSF restaura uma cópia da página do cliente armazenada no FacesContext, no lado servidor ou cria uma nova página caso ela ainda não exista. Essa fase é chamada de Restore View (Restaurar a Visão). Após essa fase o JSF atualiza os valores da página  do servidor com os novos valores dos componentes da página do cliente, como por exemplo, valores de campos de formulários, cookies etc. Essa fase é chamada de Apply Request Values (Aplicar Valores da Requisição).

Figura 6 – O Ciclo de Vida das Requisições no JavaServer Faces

Adaptado de: GEARY & HORSTMANN, 2010

Após as fases anteriores é iniciada a fase Process Validations (Processar Validações) nela é feita a conversão e/ou a validação dos novos valores dos componentes. Por exemplo, na página do cliente quando ele digita uma data em um <p:inputCalendar>,  este valor é atribuído como String  ao componente, antes deste valor ser atribuído à sua classe Java correspondente é necessário convertê-lo para o tipo Date. A validação de campos também é efetuada nessa fase, por exemplo, a validação de um e-mail ou se uma data final não é menor que a data inicial. Logo em seguida ocorre a Update Model Values (Atualização os Valores do Modelo) fase na qual os valores dos componentes enviados pelo cliente são atribuídos às classes Java correspondentes.

Posteriormente ocorre a fase Invoke Application (Invocar a Aplicação) nela os métodos (action ou actionListener) dos botões e links que estão configurados nos formulários da página do cliente são finalmente invocados. Nessa fase todos os valores já estão convertidos e validados, e é possível manipular todos os dados inseridos pelo usuário.

Por fim, a Render Response (Renderizar a resposta) última fase do ciclo de vida do JSF é executada e todos os componentes são exibidos com seu estado corrente atualizado. Nessa etapa o estado da view é salvo no objeto FacesContext para a próxima requisição ou para operações no lado do servidor. Dessa forma o processamento da requisição termina e a resposta é renderizada. Além dessas seis fases existem outras subfases menores mas que não é tão relevante explicá-las neste post.

Referências:

GEARY, David; HORSTMANN, Cay. Core JavaServer faces. 3ed. Redwood Shores: Prentice Hall, 2010.

Tags: , , , ,